Moda Feminina Nos Anos 1970

maio 14, 2022
Outro episódio do quadro História da Moda. Hoje, vamos falar sobre a moda feminina na década de 1970, uma das mais frutíferas do século 20, com diversas subculturas, estilos e estilistas notáveis. No meio do texto tem um vídeo do meu canal no YouTube com um resumo da década, indico que vocês vejam pois é um material complementar. 



Contexto Histórico da Década de 1970

A década anterior, 1960, levantou pautas muito importantes sobre Igualdade de Gênero e Igualdade Racial. O Feminismo estava em voga, e o papel da mulher dentro da sociedade foi debatido exaustivamente. A luta contra o racismo também foi um ponto crucial dos anos 60, e essas reflexões foram levadas para a época seguinte.

Os anos 70 tiveram grande interesse em questões ambientais, diversidade sexual e os dilemas dos grupos LGBT. A Crise do Petróleo e a Conferência de Estocolmo, realizada em 1972, pediram reflexões sobre a natureza: "Estávamos cuidando bem do nosso planeta?", "O que fazer para preservar o nosso habitat?", "Como vencer a poluição?".

A Guerra do Vietnã, televisionada ao mundo todo, levou milhares de pessoas a protestaren pela paz nos Estados Unidos, especialmente os grupos estudantis. Apesar dos clamores, centenas de jovens convocados para a guerra morreram ou voltaram para casa com sequelas físicas e/ou psicológicas. 

"Nos anos cinqüenta, os combates no Vietnã - então conhecidos como Indochina Francesa,  tinham  envolvido tropas francesas e as forças nacionalistas vietcongues. Um cessar-fogo havia dividido o país em dois. No início da década de 1960, os Estados Unidos foram atraídos para uma nova luta do lado do sul não comunista, com o presidente Kennedy tomando a decisão inicial de enviar tropas. Em meados da década de 1960, os Estados Unidos encontravam-se fortemente comprometidos com uma guerra custosa que era impopular tanto em casa quanto no exterior. De fato, o sucessor de Kennedy, Lyndon Johnson, perdeu tanto apoio por causa de seu compromisso com a guerra que ele optou por não se candidatar pela segunda vez em 1968. 


A Guerra do Vietnã foi a causa de fortes divisões e agitação na sociedade americana, e forneceu um forte foco político para muitos jovens. A guerra foi uma experiência particularmente amarga para muitos afro-americanos, com líderes como Eldridge Cleaver e Huey Newton apontando para a contradição dos afro-americanos. Americanos sendo enviados para defender a democracia no Sudeste Asiático enquanto sua batalha pelos direitos civis ainda não havia sido vencida em casa" [1]


A Moda dos Primeiros Anos - Hippies

Toda a década de 70 foi influenciada pela música. Os festivais da era anterior, em especial o de Woodstock (1969), chamaram a atenção para o vestuário dos hippies. Eles usavam roupas largas, camisas tingidas pela técnica do tie-dye, óculos escuros, acessórios com miçangas e penas e longos cabelos soltos. 

Os hippies faziam parte da contracultura, e usaram de suas aparências "desleixadas" para chocarem os setores mais conservadores.

"Os hippies originais que viviam em São Francisco em meados dos anos sessenta não poderiam imaginar que, no final da década, seu estilo maluco de se vestir iria se tornar alta moda. O deles era um “anti-estilo”, que rejeitava toda a ética de trabalho da sociedade ocidental junto com suas roupas conformistas.

Os hippies ficaram chocados e intrigados com seus estilos de vida comunitários, crença no amor livre e experimentos
com drogas. Turistas lotaram o bairro de Haight-Ashbury, em São Francisco, para ver esses seres estranhos em sandálias e caftans, distribuindo flores como símbolos de paz e amor. Outros falavam de uma sociedade alternativa e do estabelecimento de comunidades rurais autossustentáveis de pessoas com ideias semelhantes". [2]


O Interesse por Estilos Étnicos e pelo Artesanal

Os hippies e até mesmo a alta costura, estavam interessados em culturas fora do eixo Europa Ocidental-Estados Unidos. Índia, interior da Rússia e Caribe foram alguns dos lugares que exerceram fascínio na produção de moda dos anos 1970. No estilo étnico, a presença dos detalhes manuais (artesanais) era o que mais se destacava.

"Os anos setenta viram um interesse revitalizado em artesanato como joalheria, cerâmica, tricô, bordados e serigrafia em tecidos. Conselhos nacionais e federais foram criados para promover o artesanato, especialmente as peças únicas desenhadas e feitas por graduados das escolas de arte. Novas revistas e galerias de artesanato promoveram a abordagem de belas artes para as artes de fibra. Eles ofereciam uma alternativa aos bens produzidos em massa, mas, ao mesmo tempo, muitos artesãos esperavam que seus projetos fossem colocados em produção de massa, fechando assim a lacuna entre o design e a indústria". [3]

Uma produção notável com inspiração no étnico foi a coleção outono/inverno de 1976, "Óperas - Bellets Russes" do estilista Yves Saint-Lauren. Nesse projeto, Yves usou e abusou dos tecidos luxuosos e brilhantes e prestou uma belíssima homenagem às apresentações da companhia do Balé Russo, fundada décadas antes por Sergei Diaghilev. Sobre a coleção, Lauren disse o seguinte:

"É uma coleção de pintores, inspirada nas odaliscas de Delacroix, as mulheres de Ingres, Mulher com Brinco de Pérola de Van Eyck [na verdade, Moça com Brinco de Pérola de Vermeer], La Tour, Rembrandt, dançarinas de Degas, com seus corpetes preto, mas também por Visconti de Senso, a Guerra Civil, Marlene de Sternberg. É extremamente egoísta porque expus, muito mais do que vestidos, tudo o que amo na pintura. Para o dia, tudo começa com cortes tradicionais da Rússia, Tchecoslováquia, Áustria, Marrocos. Daí vem essa ingenuidade do corte que o torna jovem, com a cor". [4]


A Moda Granny Style

Enquanto os punks expressavam sua indignação contra o sistema através de uma moda rebelde, algumas garotas reviravam o guarda-roupa de suas avós em busca de peças que pudessem ser usadas no cotidiano.

O estilo Granny, em português vovózinha, era romântico, doce, suave e pode ser considerado como uma forma de escapismo daquela época. As adeptas dessa estética usavam blusas de gola alta com design da Era Eduardiana (1901-1910), vestidos longos e cheios de babados, estampas com temas delicados e cabelos ao alto no melhor estilo Gibson Girl.

Clique aqui para ler mais sobre a moda na Era Eduardiana.

Um clássico do Granny Style foi o vestido Gunne Sax, uma releitura dos vestidos de passear do começo do século 20.


O Estilo Punk Rock

Iniciado nos meados da década de 1970, o punk rock foi um movimento musical e também cultural que se opunha à pacificidade dos hippies. Nos Estados Unidos, a principal banda do gênero foi Os Ramones, e na Grã-Bretanha, Sex Pistols.

As letras do punk rock falavam da miséria, do desemprego, críticas à política, ao Estado, à religião, ao sistema como um todo. E tudo isso embalado por um som alto, por vezes desordenado e bastante agressivo. Os Punks acreditavam na ação como sendo a força motriz capaz das maiores mudanças.

E para acompanhar as músicas, o visual pedia um aspecto chocante e ao mesmo tempo moderno. Jaquetas de couro, camisetas rabiscadas e com estampas de bandas, buttons, calça jeans rasgada, cabelos espetados e acessórios com spykes e tachas foram alguns dos principais elementos da Moda Punk.  

Como principal estilista dessa vertente podemos citar Vivienne Westwood.


O Glamouroso Disco

Enquanto punks e hippies estavam preocupados com os problemas sociais, um outro grupo apenas queria dançar e ser feliz. O gênero Disco Music, uma amálgama de outros estilos, tais como o funk, o soul e o psicodélico, foi um musical que embalou as discotecas nos meados de 1970. 

A diva máxima da Disco Music foi a cantora Donna Summer, mas bandas como ABBA e Bee Gees igualmente deixaram suas marcas.

A moda da discoteca era colorida, chamativa, sexy e opulenta. Os cantores e cantoras eram as grandes inspirações, e o que eles usavam prontamente virava tendência. 



A Calça Boca de Sino e as Calças em Geral

Amada por uns, odiada por outros. Várias foram as pessoas nos anos 70 que tiveram ao menos uma calça boca de sino. Caracterizada por ter a abertura da perna extremamente larga, esse modelo era bastante democrático. Foi usado por ricos e pobres, famosos e anônimos, jovens e adultos. 

Mulheres passaram a usar calças em 1970 com maior liberdade. Apesar de ter sido introduzida no guarda-roupa feminino décadas atrás, por muito tempo o uso de calças por parte das mulheres foi considerado pouco elegante e respeitável. E em boa parte dos trabalhos formais, mulheres estavam proibidas de usarem calças. Esse preconceito também foi observado em escolas, onde saias era um elemento obrigatório no uniforme das garotas. 

Para mais informações sobre a Moda na Década de 1970, veja o vídeo anexado ao post.

• História da Maquiagem nos Anos 70 - clique aqui.

Texto escrito por Gabriela Lira. Caso use o texto como referência, por favor dê os créditos ao blog. Plágio é crime e está sujeito à pena!

Quer que eu escreva pra você? Entre em contato através do Instagram @blondevennus. 


Fontes citadas e consultadas:

• Fashions Of A Decade - The 1970s, Jacqueline Herald.

• Fashions Of A Decade - The 1960s, Yvonne Connikie..


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.