Retrô Pelo Brasil: Entrevista com Annelyse Manzatto, Uma Apaixonada pela Jovem Guarda

janeiro 29, 2021
Mais uma entrevista para o quadro Retrô Pelo Brasil, e hoje vamos conversar com Annelyse Manzatto, 21 anos, residente da cidade de Valinhos, interior de São Paulo e formada em Design de Moda.

Annelyse é uma grande fã do movimento da jovem guarda, e tem nos ídolos brasileiros dos anos 60, sua principal inspiração para moda e beleza, mas a Anne também gosta da década de 90 e traz muitas referências do período.

Fotos do acervo pessoal da Annelyse.

1- Eu sempre começo fazendo a mesma pergunta para as entrevistadas: como você se apaixonou pelo mundo vintage e retrô? 

Desde bem pequena eu sou apaixonada por coisas antigas (fotos, móveis, eletrodomésticos…) e as roupas passam um ar de romantismo e elegância. Percebi que não me sentia bem com as roupas da atualidade, daí pensei "porque não adotar o estilo vintage?” A minha mãe, minhas avós e o resto dos meus parentes costumam falar como era a vida no passado. Meus pais ouvem muito a música de flashback.Cresci ao redor de coisas antigas, e a minha mãe me influencia e me inspira bastante também.


2- Sua época favorita é a década de 60. Quais elementos (moda, filmes, música, etc) dessa época você mais gosta e por quê? 

Os elementos dos anos 60 que mais amo são as cores, as estampas, as minissaias, os vestidos em linha ”A” e a arquitetura, que no caso era a modernista. Esses elementos me remetem ao romantismo e futurismo da época e também ao ar jovial (no caso da minissaia e dos vestidos em linha “A”’.


3- Além do seu perfil pessoal, você mantém um outro dedicado à Jovem Guarda. Quais seus artistas preferidos desse movimento? E como você incorpora a moda da Jovem Guarda no dia a dia? 

Nossa, é um pouco difícil escolher somente um porque amo todos! Mas os meus prediletos são o Roberto Carlos, a Wanderléa, o Erasmo Carlos e o Ronnie Von. Eu tenho um acervo das fotos dos artistas do movimento e reproduzo as roupas deles, algumas eu mesma faço e outras são inspiradas.


4- Tempos atrás você foi uma das escolhidas para prestar homenagem ao Ronnie Von em um programa. Como foi essa experiência? E quando nasceu sua admiração por ele? 

Isso foi uma imensa honra! Sou fã do Ronnie Von desde fevereiro de 2016, e meu maior sonho é conhecer ele. Eu fiquei extremamente feliz por participar e representar os fãs do Ronnie na TV, e isso fez meu coração de fã bater mais forte. 


Eu conheci o Ronnie através da minha mãe. Um certo dia, apareceu na TV ele a a dupla jovem-guardiana Os Vips cantando a música A Volta, e eu só o conhecia como apresentador. Fui logo pesquisar mais sobre ele. Me apaixonei por ele, pela música, pelo talento e pelo carisma. A partir de então, adotei o estilo dos anos 60, foi por ele que comecei a realmente me vestir como na época da Jovem Guarda. Eu notei que tínhamos várias coincidências e gostos parecidos, e logo virei fã.




5- Como você definiria seu estilo? Quais peças e acessórios não podem faltar em seu guarda-roupa? 

Eu me considero uma mistura de Mod com Beatnik, que são duas subculturas típicas dos anos 60, e que foram o estilo do Ronnie Von na época. Eu não vivo sem meia-calça, boinas, chapéus pillbox, minissaias, botas, sapatos Mary Jane, tipo boneca, vestidos linha “A” e estampas coloridas e geométricas.



6- Quais símbolos fashion te inspiram para montar seus visuais? 

Eu me inspiro muito no Ronnie Von, na fase Iê-Iê dele de 1966 a 1967, um pouco de 1968 e 1969 também (mas meu foco mesmo é de 66-67), a ex-primeira Dama estadunidense Jacqueline Kennedy, a Lana Del Rey, Priscilla Presley, a cantora francesa Françoise Hardy, a Wanderléa e até mesmo o Roberto Carlos nos anos 60.



7- Além da década de 60, você gosta muito dos anos 90 e sempre monta looks com peças que podem servir para ambas as épocas. Cite elementos visuais que você acha semelhantes entre os dois períodos e peças coringas que podem ser adaptadas para as duas décadas. 

Alguns elementos que eram usados nos anos 90 que também se encaixam nos anos 60 são as minissaias, vestidos trapézio, blusas de alcinha ou tomara-que-caia, vestidos de alcinha, de preferência curtos, blusas de manga ¾, jaquetas de couro e blusas de gola rolê, tanto com mangas ou sem mangas. 

Acessórios: faixas de cabelo, tiaras, de preferência largas, lisas ou estampadas, brincos de argola, de preferência, coloridos, gargantilhas choker (exceto as de tatuagem), presilhas tic-tac, grampos coloridos, presilhas retangulares e ovais. 



8- Backstreet Boys é uma banda que você gosta muito. De qual maneira eles inspiram sua moda e qual seu integrante favorito e por quê? 

Eles me inspiram de uma forma que me faz sentir nostalgia dos anos 90. Eu gosto bastante do Nick Carter, pois ele transmite um ar e beleza jovial, inocente e adolescente.


9- Você é uma pessoa que coleciona muitas coisas antigas: roupas, objetos, acessórios.Quais tesouros vintages você mais se orgulha de ter? 

O que mais gosto são meus dois pares de brincos originais dos anos 60, um de pressão e outro de furo, e também um gravador de fitas cassete da Sears, original da década de 1970, que meu amigo de Ensino Médio me deu com muito amor e carinho. 



10- As pessoas da sua família e amigos entendem a moda alternativa que você segue? Já sofreu algum tipo de preconceito por causa de sua estética? Como você lida com isso?

No começo, a minha mãe não aceitava muito.Eu fazia cabelo dos anos 60 com volume para ir em qualquer lugar e ela dizia: “esse tipo de cabelo não se usa mais”, ou “se você não trocar de roupa, eu não vou”. Os meus amigos me zombavam o tempo inteiro por ouvir músicas antigas, muitos deles diziam “atualiza sua playlist”, “você tem que se modernizar”, mas quando decidi cursar Design de Moda, a minha mãe começou a me aceitar e às vezes ela até entra na minha onda, é muito divertido. Então, no começo, eu era muito zombada, mas agora eu penso “não ligue para que os outros dizem contra você, vista-se do jeito que te faz bem, e seja você mesma” 



11- Quais lugares vintages e históricos de sua cidade você recomendaria para um passeio?

Na minha cidade, eu recomendaria que conhecesse a Igreja Matriz de São Sebastião e a casa do pintor Modernista Flávio de Carvalho.


Ping-pong: 

Um cantor: Roberto Carlos.

Um álbum de música: Roberto Carlos Em Ritmo de Aventura (1967).

Um filme que te marcou: Titanic (1997).

Um sonho: Conhecer pessoalmente o Ronnie Von.

Algo do presente que você detesta: Roupas de cintura baixa.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.