Retrô Pelo Brasil: Entrevista com Amanda Velazco, Estilista Por Trás da Nemi Atelier

março 22, 2020
Dando continuidade ao quadro de entrevistas com seguidoras do estilo retrô/vintage e figuras da cena, essa semana entrevisto Amanda Velazco, a estilista e dona da loja Nemi Atelier.

Nemi Atelier
Foto: Nemi Atelier. Reprodução.

Amanda tem 28 anos de idade, mora em São Paulo e é formada em Design de Moda pelo SENAC, além de ter pós-graduação em MBA na área de Negócios da Moda pela FMU.

Conversei com ela sobre moda, cinema, literatura e seu processo criativo como estilista. Confira: 

1 – A primeira pergunta que costumo fazer é: quando e como começou a se interessar pelo estilo vintage?

É um pouco difícil de lembrar quando toda essa paixão começou, lembro-me apenas de desde criança adorar referências de outras épocas.

Loja Nemi Atelier
Foto: Nemi Atelier.Reprodução.

Minha mãe sempre leu muito e assistiu filmes antigos, acabou por compartilhar muitos desses gostos comigo. Antes de decidir fazer moda, minha intenção era fazer história, o que ajudou muito a mergulhar mais ainda nessas influências.

2 – Você está compartilhando em seu perfil pessoal metas de leituras para o ano de 2020. Os títulos foram selecionados ou você está lendo aleatoriamente? Se selecionados, quais títulos estão na meta?

Minhas leituras mudam muito com meu humor, por vezes estou mais inclinada à poesia ou literatura oitocentista, outras à literatura russa ou filosofia e outras ainda aos estudos místicos. Então, vou selecionando de acordo com meu estado de espírito.

Nemi Atelier
Foto: Instagram pessoal da Amanda. Reprodução.

Os únicos que já havia selecionado são todos os da Jane Austen que minha mãe tem, não havia lido nenhum ainda!

3 – Sabemos que o estilo vintage e retrô ainda são nichos em ascensão no Brasil. Quais os desafios você enfrenta como empreendedora e quais dicas você daria para outras mulheres que desejam enveredar por esse ramo?

Venho “ensaiando” entrar neste nicho desde que finalizei minha pós, em 2015.
O maior desafio que tive até agora foi o investimento financeiro: tecidos, mão de obra e o trabalho em si demandam muito capital e tempo dispendido.

A grande lição que tirei disso foi: Comece o quanto antes, com o que tem em mãos. Tudo pode ser aprimorado com o tempo e quanto mais demoramos para colocar em prática nossos sonhos, mais eles demoram a se realizarem.

Nemi Atelier
Foto: Nemi Atelier. Reprodução.

Outra questão que me ajudou muito é a cena retrô ser bem receptiva e solidária. Muitas experiências são trocadas e coisas boas sempre surgem. É uma evolução contínua.

4 – Poderia nos contar um pouco sobre o seu processo criativo com a Nemi Atelier? Onde você busca as referências?

Amo meu processo criativo, é quase uma terapia! Um dos conceitos da Nemi é criar coleções a partir da indumentária de época, aliada a temáticas do universo da literatura, cinema, música e artes em geral.

Sobre a temática da coleção, costumo estimular a criação desse cenário com livros, óperas, exposições, etc.

Lojas retrô
Foto: Nemi Atelier. Reprodução.

Em relação ao estudo da moda de épocas passadas, busco referências em livros, fotografias e principalmente em minha pequena coleção de revistas antigas que acompanham modelagens.

Com base nessas modelagens antigas, costumo reproduzi-las em tecidos que serão utilizados na coleção, fazendo testes de modificação de recortes, fechamentos, caimento e o que for necessário para garantir uma peça mais funcional para os dias de hoje.A partir desses estudos, os desenhos e fichas técnicas se iniciam.

5 – Você é uma pessoa que gosta muito de filmes antigos. Cite alguns clássicos que te marcaram.

O filme mais marcante para mim foi “Nosferatu”, o assisti na 5ª série e gostei tanto, que dei um jeitinho de fazer um trabalho para a aula de história sobre ele. O professor gostou tanto, que me deu um exemplar de “As aventuras de Huckleberry Finn”, que guardo até hoje!

O filho do Sheik
Rudolph Valentino. Foto: reprodução.

Já meu filme favorito é “O Filho do Sheik”, com o maravilhoso Rudolph Valentino. Sou apaixonada por tudo que se refere a ele.
Um filme que é até recente (2003) e que foi muito importante para alimentar meus sonhos italianos, foi “Sob o Sol da Toscana”. 

Na época em que as locadoras de vídeo e DVD ainda existiam, eu o alugava quase toda a semana. Meu pai se cansou e acabou comprando um exemplar para mim!

Outros filmes que me marcaram muito sempre são a nível sentimental, lê-se “Sempre me debulho em lágrimas ou sofro com pensamentos que nunca me abandonam”, que são:

“Faust” – Murnau
“Sunrise” – Murnau
“O Homem que ri” – Paul Leni
“Esposa e Mártir” – Sam Wood
“Broken Blossoms” - D. W. Griffith
“Way down east” -  D. W. Griffith
“Ninotchka” - Ernst Lubitsch
“Sunset Boulevard” – Billy Wilder
“An Affair to remember” - Leo McCarey
“O Sétimo Selo” – Ingmar Bergman
“Le Notti di Cabiria” – Fellini
“I Girasoli” – Vittorio de Sica

6 – Falando de moda pessoal, como você definiria seu estilo? Quais peças e acessórios não podem faltar em seu guarda-roupa?

Meu estilo é um pouco difícil de definir, pois é uma mistura de referências vintage, com um toque elegância contemporânea. Aprecio peças clássicas, inspirações góticas e até estampas tropicais. Um estilo peculiar.

Amanda velazco
Foto: Nemi Atelier. Reprodução.

No meu guarda-roupa não pode faltar nunca saias e vestidos! Também aprecio muito camisas de chiffon bem cortadas, peças de gola alta e estampas floridas ou de folhagens.

7 – Todas as criações são muito especiais para um estilista, mas você poderia citar alguma peça em específico que seja o seu xodó na Nemi Atelier? Aquela que você tem muito orgulho e satisfação em ter criado?

Minha peça favorita já está na nova coleção ainda não lançada! É um vestido muito delicado que une a silhueta da década de 1960 com a ambientação de tempos mais antigos. Incrível como duas épocas tão distintas conversaram tão bem!

Nemi Atelier
Vestido Bette. Reprodução.

De coleções já lançadas, minha peça favorita é o Vestido Bette! Adorei utilizar elementos da década de 1930 como o comprimento midi e o franzido triangular no busto aliado à praticidade do lastex na costas, o que facilita também o ajuste a diversos tipos de silhuetas.

8 – Eu pergunto para todas entrevistadas sobre a cena retrô em suas cidades. Como é a cena retrô onde você mora? 

Aqui em São Paulo a cena retrô é movimentada e muito unida.Só tive a oportunidade de conhecer essa união quando criei a Nemi.

A impressão que tive é que todos tem a intenção de fazer a cena crescer, então em vez de competir, acabam trocando experiências.Me sinto muito acolhida e otimista em fazer cada vez mais amizades!

Nemi Atelier loja
Foto: Nemi Atelier. Reprodução.

9 – Quais lugares vintages e históricos da sua cidade você indicaria para um passeio? 

Sempre indico a Casa das Rosas! Lugar incrível para passear por entre as paredes construídas na década de 1930 e frequentar os saraus.Indico ainda o Theatro Mvnicipal, Theatro São Pedro, Sala São Paulo, a Biblioteca Mário de Andrade, Solar da Marquesa de Santos, o Café Girondino e todas as cantinas escondidas da Mooca, Cambuci e Bixiga! (adoro a Cantina 1009).  

Casa das Rosas
Foto: Instagram Casa das Rosas. Reprodução.

Ping-pong
Um livro: “A Lira dos 20 Anos” – Álvares de Azevedo
Um diretor: Murnau
Um nome da moda: Gianni Versace
Um autor: Dostoiévski
Um ator e uma atriz:  Rudolph Valentino e Gloria Swanson

Site da Nemi Atelier: aqui
Instagram da Amanda: @amandarvelazco

Me siga no Instagram: @blondevennus 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.